Seguidores

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Ainda ... Sinto a tua falta




“Eu sinto a sua falta” é a frase que meu coração mais grita. O seu cheiro ainda está nas minhas roupas, e ao fechar os olhos eu sinto o seu abraço. Você me faz falta, e eu só percebi isso depois que você se foi. Eu queria tanto que você voltasse, e só o meu travesseiro sabe o quanto. Por mais que eu negue, meu coração sabe que todas as noites você me vem à mente. Você não vai voltar, eu não tenho como te trazer de volta. Essas são as consequências, de um erro meu, de um erro nosso. O meu coração não está inteiro; você levou uma parte dele consigo. E eu pelo que vejo, nunca mais a terei de volta. Por que essa dor não vai embora? Ela insiste em continuar aqui comigo. O escuro se tornou o meu melhor amigo. O sono me trás pesadelos, piores mesmo do que os que eu estou vivendo. Eu relembro todos os dias aquela cena: você virando as costas e indo embora, me deixando ali sozinha, as lágrimas escorrendo, você partindo. Por que você se foi? Você me deixou mal, eu ainda estou mal. Os dias parecem meses, e o frio do inverno não me conforta. Eu tenho medo, medo de não conseguir seguir em frente. Tudo me causa dor, tudo me lembra você. E eu me pergunto: você realmente me amava? Eu não sei, e talvez nunca saiba. Me diga uma coisa: você, alguma vez ao dia, pensa em mim? Sorri quando falam o meu nome? Eu só queria ouvir uma resposta. Eu só queria sentir o seu abraço pela ultima vez. Eu só queria te sentir por um instante. Mas isso agora só é possível nos meus sonhos. e no final de cada um deles, logo ao acordar, meu coração soltará um “eu sinto a sua falta”, ao ver que você não está e nem voltará para a minha vida.

terça-feira, 25 de março de 2014

Apenas olhares....


  Ontem eu o vi. Ele estava caminhando de cabeça baixa, mal arrumado, um aspecto de velho cansado,mas eu o achei lindo, como sempre. Que vontade de correr e lhe abraçar, mas eu sabia que não podia fazer isso, era melhor não. Fazia tempo que não se falava, muito menos se via. Pra ser mais específica, desde o dia em que te vi com ELA. Mas bem, depois daquele dia, eu procurei não te ver e você sumiu. E eu não procurei também. Mas eu sinto a tua ausência aqui dentro. E com a distância, eu fui “esquecendo”… até que te vi hoje. Mas agora, quando te vi, algo mexeu aqui dentro. Foi como se eu não tivesse esquecido. Como se o sofrimento não fosse o suficiente pra esquecê-lo. E agora eu me pego pensando em ti, assim do nada. Mesmo que já estejas com outra, é você quem predomina os meus pensamentos. Eu sinto tanta a sua falta, e dói tanto lembrar que você não está mais aqui comigo. Dói lembrar que você disse que jamais me abandonaria. E hoje, eu só te vi. Não tive coragem de ir falar com você. Com que cara eu chegaria? Sobre o que conversaríamos? Não, foi melhor eu ter ficado só olhando. Que vontade de procurar você e  começar a conversar. Porém eu me lembro que te exclui da minha vida, pra tentar esquecer. Não adiantou muito, eu te tenho dentro da minha cabeça. Quando eu te vi hoje, eu percebi que estas mais velho,teus cabelos, já estão brancos. Ficou ainda mais lindo. Notei que ficou um pouco surpreso quando meu viu. Eu mudei muito tb...  Eu também vi que me olhava de pouco em pouco, e aquilo apertava o meu peito. Parecia que por alguns segundos, você sentia a minha falta. Mas ninguém se manifestava. Nem um oi, nem um sorriso. Nada. Apenas olhares. Pra ser mais exata, muitas memórias me passaram à cabeça. Boas, médias, e ruins. Mas teve uma que não passou; ela permaneceu,e com voce ali, na minha frente, como se fosse real. Eram as suas lembranças. Por um momento, assim do nada, eu CHOREI. E senti uma DOR enorme. Uma saudade depois de anos de despedida. Algo que não deveria ter acontecido. Aquele encontro, aquelas lembranças… só poderiam resultar em lágrimas. E foi o que aconteceu. Comecei a chorar, lembrando de você, lembrando de nós. Lembrando de um passado que não vai mais voltar. E  agora te revendo, aquilo só piorou tudo. Mas por que isso, do nada? Não sei, mas foi algo passageiro. E ontem, eu senti a sua falta. Mas, AINDA bem, foi só ONTEM.